Produção Científica

01/07/11

CONSTITUIÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE: Um estudo comparativo de Belo Horizonte e Curitiba.

A ausência de integração entre política e gestão de transportes, pessoas, modos de transporte, uso e ocupação do solo e meio ambiente tem ocasionado um meio urbano insustentável, carente de medidas que atuem no sentido de solucionar os problemas gerados por essa situação. Na perspectiva de mudança deste quadro foram instituídos os Planos de Mobilidade no Brasil, em nível Nacional e, mais recentemente, Municipal. Considerando a função à que se propõem e, não obstante, esses problemas que atualmente se fazem presentes em todos os centros urbanos, estes planos devem versar sobre, no mínimo, determinados elementos e especificações, obrigatórios e necessários em todas as cidades. Nesse sentido a presente pesquisa tem como objetivo qualificar e verificar se o Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte e o Plano de Mobilidade Urbana e Transporte Integrado de Curitiba contemplam as especificações indicadas no "Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade". Como metodologia, foram identificados quais são esses elementos e especificações imprescindíveis e, posteriormente, organizados em grupos, na forma de variáveis e critérios, para que então as análises comparativas pudessem ser realizadas. Os resultados das análises apontaram que os planos em questão apresentam uma composição pouco satisfatória, uma vez que muitas das variáveis e critérios não foram contemplados integralmente.


PDF



Telefone: 41 . 3013.2160 Telefone e fax: 41 . 3013.2161 ambiens@coopere.net